A partir do dia 31/01, nova placa será adotado em todo o Brasil, de acordo com o Denatran.

A partir de 31/01/2020 (Sexta-feira), a nova placa com o padrão do Mercosul estará valendo em todo o país. Segundo o DENATRAN não há previsão de outro adiamento.

Mas e minha placa cinza, vou ter que trocar?

NÃO! Segundo a resolução 780/2019 do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) os veículos que já transitam com a placa cinza, no padrão brasileiro, não serão obrigados a efetuar a troca, mas fique atento, em nos casos abaixo a troca será obrigatória:

• Alteração de categoria do veículo.
• Furto, extravio, roubo ou dano da placa.
• Transferência para outro município ou Estado.

Quem já possui a placa no padrão Mercosul não precisará comprar uma nova placa nos casos de transferência ou alteração de categoria.

O que muda na nova placa?

Placa Mercosul Versão 4

A versão mais recente não tem mais o efeito difrativo e colorido nos caracteres e ondas sinusoidais no fundo branco.

Pensando em comprar ou vender um veículo usado? Não seja enganado!

Faça a Vistoria de Transferência e o Laudo Cautelar com a Visão Total Vistorias. Temos uma unidade perto de você!

Agende sua vistoria

Diferenças entre as placas

A placa cinza traz uma combinação de três letras precedendo quatro números, a Mercosul é formada por três letras, um número, outra letra e dois algarismos, nessa ordem.

A troca de um número por uma letra permite quantidade muito maior de combinações alfanuméricas: serão possíveis cerca 450 milhões de combinações, a serem compartilhadas entre todos os países do Mercosul. Bem mais do que as 175 milhões de possibilidades das atuais placas com fundo cinza.

Além disso, as novas placas preveem um banco de dados integrado entre os países que adotam o formato, permitindo aos agentes de trânsito e polícias consultarem as informações de determinado veículo, seja ele registrado no Brasil, na Argentina, no Paraguai e no Uruguai.

O Denatran informa que esse sistema já está operante. O padrão Mercosul também deixa de adotar o lacre, substituído pelo QR Code – código bidimensional que permite consultar os dados veiculares, bem como rastrear a produção de determinada placa, com o objetivo de prevenir clonagens. O QR Code pode ser lido por meio do aplicativo Vio, que tem download gratuito para dispositivos Android e iOS.

Para completar, a cor dos caracteres muda de acordo com a categoria do veículo:

Preta – carro particular
Cinza – veículo antigo de coleção
Vermelha – comerciais ou de aprendizagem
Amarela – diplomático ou consular
Verde – especial (como protótipos de testes)
Azul – veículos de órgãos oficiais.

Fonte: UOL